JESUS TE CONVIDA A PASSAR UMA HORA ESPECIAL COM ELE

Para ter uma vigília de oração constante diante do Santíssimo, precisamos assegurar-nos que em cada hora haja adoradores.

Para tanto, é necessário que cada pessoa se comprometa a tomar uma determinada hora.

Desta forma, podemos organizar todas as horas da noite, de modo que sempre haja alguém com Jesus.

A sua fé na presença de Jesus lhe ajudará a crer com convicção.

Torne-se você também um adorador (a). Faça uma experiência diante de JESUS EUCARÍSTICO

“VINDE A MIM VÓS QUE ESTAIS CANSADOS E SOBRECARREGADOS, EU VOS ALIVIAREI” (Mt 11,28).

ALEGRAI-VOS, ELE ESTÁ NO MEIO DE NÓS.

VINDE TODOS E ADOREMOS AO SALVADOR, JESUS SE FAZ PRESENTE NA SAGRADA EUCARISTIA, NÃO PERCA A OPORTUNIDADE DE ESTAR JUNTO A ELE. SEJA VOCÊ TAMBÉM UM ADORADOR DE JESUS CRISTO.

“A EUCARISTIA É O REMÉDIO DA IMORTALIDADE, O ANTÍDOTO CONTRA A MORTE” (Santo Inácio de Antioquia).



“A EUCARISTIA CONSISTE DE DUAS REALIDADES, A TERRENA E A CELESTE. POIS O PÃO QUE É TIRADO DA TERRA, NÃO É MAIS PÃO COMUM, UMA VEZ QUE ELE RECEBEU A INVOCAÇÃO DE DEUS E NÃO SE CORROMPE. PORTANTO, TAMBÉM NOSSOS CORPOS, QUANDO RECEBEM A EUCARISTIA, NÃO SÃO MAIS PASSÍVEIS DE CORRUPÇÃO, MAS POSSUEM A ESPERANÇA DA RESSURREIÇÃO PARA A ETERNIDADE”. (Santo Irineu, sec.II).

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

“E O VERBO SE FEZ CARNE E HABITOU ENTRE NÓS”; (Jo 1,14) - NATIVIDADE DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO.


“Alegrai-vos sempre no Senhor! Repito, alegrai-vos!” (Fl 4,4). Este é o convite a ressoar no coração de quem acredita no sentido cristão do Natal. O fundamento desta alegria, não consiste apenas na situação em que estamos vivendo no momento, mas, sobretudo pelo fato de comemorarmos a chegada de Deus no meio de nós.

O Natal de Jesus significa ir ao Seu encontro, reconhecer que a sua vinda é o presente mais precioso para as nossas vidas. Ao chegar, Jesus quer encontrar nossos corações íntegros e santos.

O verdadeiro sentido do Natal somente terá o seu valor, se estamos vivendo uma autêntica vida cristã. A graça salvadora de Deus nos ensina a vivermos neste mundo com ponderação, justiça e piedade, e a renunciar a tudo que nos leva a ser contrario aos princípios cristãos.

Esperemos com alegria a vinda gloriosa do Senhor Jesus. Intensifiquemos nosso relacionamento intimo com Ele, tornando nossa relação com o próximo fraterna, pois a fraternidade e a ternura são sinais da presença de Deus.

Temos que nos perguntar constantemente, o que significa Jesus Cristo para nós? Existe espaço para Cristo nascer em nossos corações? Pois percebemos que a presença de Cristo perturba e atrapalha o “bem estar” egoísta e individualista de um grande número de pessoas fechadas em si mesmas, que acham que ao segui-lo estarão impedidas de viverem a sua liberdade. Puro engano, pois na maioria dos casos, as pessoas acabam tornam-se escravas das paixões mundanas.

As festividades do Natal, no entanto, não perderam seu sentimento puro e ainda possuem a força que transborda os corações dos homens. O Natal do Senhor é a festa da fraternidade entre os homens. São incontáveis as manifestações de solidariedade, sinais do grande dom que Deus fez pela humanidade com a encarnação do Verbo, reflexos daquela noite santa em que o próprio Deus se fez para nós um presente. “Nasceu hoje para nós um salvador que é o Cristo Senhor” (Lc 2,11).

O verdadeiro cristão é precursor de Cristo é transparência viva de quem quer ver Jesus. Acolhamos o nosso salvador, encarnando-o em nosso jeito de ser e de amar.

AS ORIGENS DA FESTA DO NATAL.

Os evangelhos nos dizem muito pouco sobre o nascimento de Cristo. Sabemos apenas que Ele nasceu “na cidade de Belém, na Judéia, no tempo do rei Herodes” (Mt 2,1). A sagrada escritura não diz nada sobre a data deste grande acontecimento.

E porque se celebra o nascimento de Cristo dia 25 de dezembro? Porque nesta data no hemisfério norte, onde o inverno é rigoroso, se celebrava a grande festa pagã do Sol Invicto. As noites passavam a serem mais longas e a força do Sol mais fraca. A sensação de fim de luz do sol era inevitável. No dia 21 de dezembro ocorre o solstício de inverno, ou seja, o dia mais curto do ano, e o dia 25 de dezembro era o primeiro dia em que era possível perceber que os dias estavam se tornando mais longos e força da luz do sol retornando.

A festa do nascimento do sol todos os anos, no dia 25 de dezembro, celebrava a vitória da luz sobre as trevas.

Os cristãos, naquela época cada vez mais numerosos, na tentativa de conquistar o coração dos homens do Império Romano, requisitaram o dia 25 de dezembro para a celebração do nascimento da Luz Invencível, festejando-o como o dia em que Jesus Cristo Nasceu, a verdadeira Luz que ilumina todos os povos.

A igreja substituiu a festa onde se venerava ao deus sol, pela adoração a Jesus Cristo, Luz do mundo. “Eu sou a luz do mundo. Quem me segue não andará nas trevas, mas terá a luz da vida”. (Jo 8,12).

Por volta do ano 336dc, a festa do Natal já era celebrada em Roma no dia 25 de dezembro.
A data de 25 de dezembro como vemos, não é uma data histórica. É, porém, a data na qual comemoramos um fato histórico: o nascimento do nosso Salvador. Para a nossa fé não é fundamental saber exatamente quando Jesus veio ao mundo, mas sim saber que Ele veio.


A ORIGEM DO PRESÉPIO.

São Francisco de Assis, encantado com a humanidade do Filho de Deus, passava horas contemplando o crucifixo na solidão das grutas de La Verna (Itália). Tinha uma profunda devoção pelo Natal do Senhor, mais que qualquer outra festividade do ano. (cf Fontes Franciscanas FF 1669).

Francisco queria que no Natal os cristãos exultassem no Senhor e, por amor dele, fossem alegremente generosos, não apenas com os necessitados, mas também com os animais e pássaros. Neste dia, Deus feito criança amamentou no seio humano. Queria que no Natal todos fossem saciados.

Duas semanas antes do Natal, Francisco procurou por Giovanni, um amigo que residia em Greccio, e pediu-lhe que o ajudasse nos preparativos para a festa do Natal. Francisco queria representar o nascimento de Cristo, e presenciar com os próprios olhos, as dificuldades encontradas pela sagrada família naquela noite em Belém.

Na noite de 24 de dezembro de 1223, Francisco organizou todas as coisas que seu amigo lhe preparara e adornou uma gruta com todo o carinho. Aos poucos, uma procissão se formou e entre luzes e cânticos, dirigiram-se até a gruta que aos poucos se tornou o presépio de Greccio, uma nova Belém.

Foi o primeiro presépio vivo organizado na história do cristianismo.

Nenhum comentário: