JESUS TE CONVIDA A PASSAR UMA HORA ESPECIAL COM ELE

Para ter uma vigília de oração constante diante do Santíssimo, precisamos assegurar-nos que em cada hora haja adoradores.

Para tanto, é necessário que cada pessoa se comprometa a tomar uma determinada hora.

Desta forma, podemos organizar todas as horas da noite, de modo que sempre haja alguém com Jesus.

A sua fé na presença de Jesus lhe ajudará a crer com convicção.

Torne-se você também um adorador (a). Faça uma experiência diante de JESUS EUCARÍSTICO

“VINDE A MIM VÓS QUE ESTAIS CANSADOS E SOBRECARREGADOS, EU VOS ALIVIAREI” (Mt 11,28).

ALEGRAI-VOS, ELE ESTÁ NO MEIO DE NÓS.

VINDE TODOS E ADOREMOS AO SALVADOR, JESUS SE FAZ PRESENTE NA SAGRADA EUCARISTIA, NÃO PERCA A OPORTUNIDADE DE ESTAR JUNTO A ELE. SEJA VOCÊ TAMBÉM UM ADORADOR DE JESUS CRISTO.

“A EUCARISTIA É O REMÉDIO DA IMORTALIDADE, O ANTÍDOTO CONTRA A MORTE” (Santo Inácio de Antioquia).



“A EUCARISTIA CONSISTE DE DUAS REALIDADES, A TERRENA E A CELESTE. POIS O PÃO QUE É TIRADO DA TERRA, NÃO É MAIS PÃO COMUM, UMA VEZ QUE ELE RECEBEU A INVOCAÇÃO DE DEUS E NÃO SE CORROMPE. PORTANTO, TAMBÉM NOSSOS CORPOS, QUANDO RECEBEM A EUCARISTIA, NÃO SÃO MAIS PASSÍVEIS DE CORRUPÇÃO, MAS POSSUEM A ESPERANÇA DA RESSURREIÇÃO PARA A ETERNIDADE”. (Santo Irineu, sec.II).

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

VIRGEM DE GUADALUPE - 12 DE DEZEMBRO.


A imagem de Nossa Senhora de Guadalupe, presente no manto de Juan Diego, é para nós católicos, uma prova concreta de que devemos permanecer firmes em nossa fé. A manifestação da Virgem Maria, Mãe de Deus e nossa, em 1531 no México, permanece e sempre permanecerá ao longo dos séculos, como testemunho da presença de Deus no meio de nós. Para o ateu moderno, acostumado a dar valor só ao que julga provado pela ciência, o milagre de Guadalupe, no México, é no mínimo constrangedor. Pois a ciência prova que houve milagre!

No dia 9 de dezembro de 1531, na cidade do México, Nossa Senhora apareceu a um índio que se convertera ao catolicismo, e havia sido batizado com o nome de Juan Diego. Nossa Senhora então lhe pediu que dissesse ao bispo da cidade para construir um templo em sua honra. Juan Diego transmitiu o pedido, e o bispo exigiu um sinal da Rainha do Céu, de que realmente dizia a verdade.
ANTIGO SANTUÁRIO

Recebendo de Juan Diego o pedido do bispo. Nossa Senhora solicitou a Juan Diego que fosse ao topo da colina e lá colhesse as flores existentes, dentre elas, estavam rosas de castela, que não floresciam naquela época do ano e em pleno inverno mexicano. Juan Diego estendeu seu manto e a encheu com as coloridas flores. A variedade das flores era o sinal solicitado pelo bispo.
Feito isto, Juan Diego apresentou-se ao bispo com as flores envolvidas com seu manto. Ao abri-lo diante do bispo e de várias outras pessoas, verificaram admirados que naquele instante surgiu estampado no manto uma imagem gloriosa de Nossa Senhora, era então 12 de dezembro de 1531. Muito resumidamente, esta é a história, que foi registrada em documento escrito.

Como resultado das aparições, aconteceu a maior conversão em massa ao cristianismo de toda a história. Alguns sacerdotes chegaram a batizar 6 mil mexicanos em um só dia.
O manto de Juan Diego, conhecido no México como tilma, que é feito de tecido grosseiro (fibras de maguey, um tipo de cacto), deveria ter-se desfeito há muito tempo. O frágil material da tilma , que geralmente, se deteriora em aproximadamente 15 anos, permanece intacto até hoje em perfeito estado de conservação.

Uma vez que o manto existe, é possível estudá-lo a fim de definir, por exemplo, como a imagem foi impressa nele. Em 1936, o bispo da cidade do México pediu ao Dr. Richard Kuhn, ganhador do prêmio Nobel de química, que analisasse a imagem de Nossa Senhora. Ao analisar três fibras do manto, para descobrir qual o material utilizado na pintura. Para surpresa de todos, o cientista constatou que, o material utilizado para produzir o que parecia cores, era desconhecido para a ciência, já que as tintas não eram de origem vegetal, nem mineral, nem animal.

A hipótese de que a sagrada imagem fosse uma pintura, também foi descartada em 1946, quando um exame microscópio comprovou que não existiam pinceladas.
No ano de 1979 o prof. Phillip Serna Callahan, biofísico da Universidade da Flórida, junto com especialistas da NASA, analisou a imagem. Desejavam verificar se a imagem é uma fotografia. Resultou que não é fotografia, pois não há impressão no tecido. Eles fizeram mais de 40 fotografias infravermelhas para verificar como é a pintura. E constataram que a imagem não está colada ao manto, mas se encontra 3 décimos de milímetro distante da tilma. Outra constatação importante é que, ao aproximar os olhos a menos de 10 cm da tilma, não se vê a imagem ou as cores dela, mas só as fibras do manto.
NOVO SANTUÁRIO

Os olhos da imagem.

Talvez o que mais intriga os cientistas sobre o manto de Nossa Senhora de Guadalupe são os olhos dela. Com efeito, desde que em 1929 o fotógrafo Alfonso Marcué Gonzalez descobriu uma figura minúscula no olho direito, não cessam de aparecer às surpresas. Devemos primeiro ter em vista que os olhos da imagem são muito pequenos, e as pupilas deles, naturalmente ainda menores. Nessa superfície de apenas 8 milímetros de diâmetro aparecem nada menos de 13 figuras! O cientista José Aste Tonsmann, engenheiro de sistemas da Universidade de Cornell e especialista da IBM no processamento digital de imagens, dá três motivos pelos quais essas imagens não podem ser obra humana:
• Primeiro, porque elas não são visíveis para o olho humano, salvo a figura maior, de um espanhol. Ninguém poderia pintar silhuetas tão pequenas;
• Em segundo lugar, não se consegue averiguar quais materiais foram utilizados para formar as figuras. Toda a imagem da Virgem não está pintada, e ninguém sabe como foi estampada no manto de Juan Diego;
• Em terceiro lugar, as treze figuras se repetem nos dois olhos. E o tamanho de cada uma delas depende da distância do personagem em relação ao olho esquerdo ou direito da Virgem.

Esse engenheiro ficou seriamente comovido ao descobrir que, assim como os olhos da Virgem refletem as pessoas diante dela, os olhos de uma das figuras refletidas, a do bispo Zumárraga, refletem por sua vez a figura do índio Juan Diego abrindo sua tilma e mostrando a imagem da Virgem. Qual o tamanho desta imagem? Um quarto de mícron, ou seja, um milímetro dividido em quatro milhões de vezes. Quem poderia pintar uma figura de tamanho tão microscópico? Mais ainda, em pleno século XVI.

E ainda ela está hoje ali, no templo construído em sua honra, assim como uma vez esteve Nosso Senhor diante do Apóstolo São Tomé e lhe ordenou colocar sua mão no costado aberto pela lança. São Tomé colocou a mão e, verificada a realidade, honestamente acreditou na Ressurreição. Terão essa mesma honestidade intelectual os incrédulos de hoje? Não sei, porque assim como não há pior cego do que o que não quer ver, não há pior ateu do que o que não deseja acreditar. Mas, como católicos, devemos rezar também por esse tipo de pessoas, pedindo a Nossa Senhora de Guadalupe que lhes dê a graça de serem honestas consigo mesmas.

Nenhum comentário: