JESUS TE CONVIDA A PASSAR UMA HORA ESPECIAL COM ELE

Para ter uma vigília de oração constante diante do Santíssimo, precisamos assegurar-nos que em cada hora haja adoradores.

Para tanto, é necessário que cada pessoa se comprometa a tomar uma determinada hora.

Desta forma, podemos organizar todas as horas da noite, de modo que sempre haja alguém com Jesus.

A sua fé na presença de Jesus lhe ajudará a crer com convicção.

Torne-se você também um adorador (a). Faça uma experiência diante de JESUS EUCARÍSTICO

“VINDE A MIM VÓS QUE ESTAIS CANSADOS E SOBRECARREGADOS, EU VOS ALIVIAREI” (Mt 11,28).

ALEGRAI-VOS, ELE ESTÁ NO MEIO DE NÓS.

VINDE TODOS E ADOREMOS AO SALVADOR, JESUS SE FAZ PRESENTE NA SAGRADA EUCARISTIA, NÃO PERCA A OPORTUNIDADE DE ESTAR JUNTO A ELE. SEJA VOCÊ TAMBÉM UM ADORADOR DE JESUS CRISTO.

“A EUCARISTIA É O REMÉDIO DA IMORTALIDADE, O ANTÍDOTO CONTRA A MORTE” (Santo Inácio de Antioquia).



“A EUCARISTIA CONSISTE DE DUAS REALIDADES, A TERRENA E A CELESTE. POIS O PÃO QUE É TIRADO DA TERRA, NÃO É MAIS PÃO COMUM, UMA VEZ QUE ELE RECEBEU A INVOCAÇÃO DE DEUS E NÃO SE CORROMPE. PORTANTO, TAMBÉM NOSSOS CORPOS, QUANDO RECEBEM A EUCARISTIA, NÃO SÃO MAIS PASSÍVEIS DE CORRUPÇÃO, MAS POSSUEM A ESPERANÇA DA RESSURREIÇÃO PARA A ETERNIDADE”. (Santo Irineu, sec.II).

domingo, 21 de fevereiro de 2010

EUCARISTIA: MISTÉRIO DE COMUNHÃO E FÉ.


Quando se reza no silêncio fala-se com Deus. Dessa forma, para escutá-lo é necessário silenciar. O silêncio fecunda a vida, levando o homem a aceitar a vontade do Pai, mesmo nas situações dolorosas. Rezar no silêncio da contemplação cria no coração de quem reza um clima propício para uma experiência real com Deus, fazendo reconhecer, no coração de quem reza, que a Eucaristia é verdadeiramente sinal misterioso e real de Deus.

O Ato de Adorar a Deus

“Adorarás o Senhor, teu Deus, e só a Ele prestará culto.” (Lucas 4,8)

A adoração é o primeiro ato de virtude da religião. Adorar a Deus é reconhecê-lo como Deus Criador e Salvador, como o Senhor e o Dono de tudo o que existe, como o Amor infinito e misericordioso.

Adorar o Criador é, no respeito e na submissão absoluta, reconhecer o “nada da criatura”, entendendo que a nossa existência depende somente de Deus.

No ato de adorar a Deus vivemos o Magnificat de Maria. Isso significa que nos maravilhamos, louvamos, exaltamos e somos humildes como ela foi diante do mistério do Criador. Também, como Maria, confessamos que somente Ele é capaz de fazer grandes coisas e que seu nome é Santo (cf. Lc 1,46-49).

Portanto, para adorar ao Senhor é preciso sentir-se livre das coisas que nos escravizam: o pecado, o medo, a insegurança e a idolatria do mundo. É preciso deixar-se consumir pela Eucaristia e pelo Santíssimo Sacramento exposto no ostensório. Da mesma forma, sentir que a Vontade, o Amor e a Misericórdia de Deus penetram no íntimo do nosso ser, como um raio de luz que entra pela janela que está aberta. Que a Eucaristia é um mistério de fé e que ultrapassa a nossa inteligência e nos convida a nos abandonar em Deus.

Na escola de Maria aprendemos o que significa abandonar-se aos projetos de Deus, pois, ninguém melhor do que ela viveu a entrega total de sua vida a Ele.

A mãe de Jesus, com a solicitude materna manifestada nas bodas de Caná, nos pede: “Não hesiteis, confiai na Palavra do meu Filho. Se Ele pôde mudar a água em vinho, também é capaz de fazer do pão e do vinho o Seu Corpo e o Seu Sangue, entregando aos que crêem neste mistério o memorial vivo da Páscoa, e tornando-se o pão da vida.

Portanto, se desejamos nos encontrar com Cristo na Santa Eucaristia e, vê-lo como o Pão do caminho, o Vinho da alegria e o Bálsamo da dor temos que aprender com Maria Santíssima, a Mulher “Eucarística”, o grande milagre: “Pegue e coma...este é o meu Corpo”; “Pegue e beba...este é o meu sangue”.

Dessa forma, estar diante do mistério insondável da Eucaristia significa deixar-se levar nas mãos de Deus e, diante da lógica Divina, tão diversa da humana, entregar o nosso coração para que Ele mesmo decifre os nossos pensamentos e sentimentos.

Certamente, foi dessa forma, que Maria respondeu com o seu “sim” incondicional. Ela exaltou a Deus, e ofereceu a Ele toda a sua vida, a sua vocação, o seu dom e a sua responsabilidade diante dos homens e do próprio Deus. Maria exaltou a Deus cantado o Magnificat.


Mistério Eucarístico

“Entre as sombras deste mundo que passa, a Eucaristia anuncia a alegria da vida eterna” (Papa João Paulo II)

Contemplando a última ceia, que Jesus celebrou com os seus discípulos, lembramos que nós ao celebramos a Eucaristia fazemos “memória” da vida, da morte e da ressurreição de Jesus. A Eucaristia, porém, não é apenas lembrança de um acontecimento do passado, mas “presença real”, sacramental, de Cristo no nosso meio.

No discurso do pão da vida, Jesus disse: “Eu sou o pão da vida. Quem vem a mim não terá mais fome e quem crê em mim nunca mais terá sede”.(Jo 6,35). Disse também, “Quem come minha carne e bebe meu sangue tem vida eterna, e eu o ressuscitarei no último dia” (Jo 6,54) e “Quem come este pão viverá para sempre” (Jo 6,58).

As palavras de Jesus não são fáceis de se entender, porém, se recebermos a sua Palavra com o coração aberto reavivaremos em nós a chama do Amor de Deus e seremos capazes de romper as barreiras que nos separam dele.

Por isso ao recebermos a Eucaristia nos tornamos íntimos de Jesus. Ele restaura as nossas forças físicas e espirituais, fortalece a caridade e aprofunda a nossa união com a Igreja. Além disso, a Eucaristia alimenta a nossa fé e a nossa esperança, não apenas na vida eterna, mas também nesta vida.

Sendo a Eucaristia o memorial da morte de Cristo e a presença atual do Senhor ressuscitado podemos encontrá-lo também vivo e presente no Sacramento do altar, onde podemos honrá-lo com o culto de adoração.

Dessa forma, visitar o Senhor no Santíssimo sacramento é prova de gratidão, sinal de amor, e dever de cada fiel.

Para melhor entendermos esse ato sublime de amor faremos um pequeno itinerário de Adoração a Cristo presente na Eucaristia.

Everenice Schiavon Ara
Paróquia Santíssima Virgem

A Boa Notícia - Janeiro de 2010.

Nenhum comentário: