JESUS TE CONVIDA A PASSAR UMA HORA ESPECIAL COM ELE

Para ter uma vigília de oração constante diante do Santíssimo, precisamos assegurar-nos que em cada hora haja adoradores.

Para tanto, é necessário que cada pessoa se comprometa a tomar uma determinada hora.

Desta forma, podemos organizar todas as horas da noite, de modo que sempre haja alguém com Jesus.

A sua fé na presença de Jesus lhe ajudará a crer com convicção.

Torne-se você também um adorador (a). Faça uma experiência diante de JESUS EUCARÍSTICO

“VINDE A MIM VÓS QUE ESTAIS CANSADOS E SOBRECARREGADOS, EU VOS ALIVIAREI” (Mt 11,28).

ALEGRAI-VOS, ELE ESTÁ NO MEIO DE NÓS.

VINDE TODOS E ADOREMOS AO SALVADOR, JESUS SE FAZ PRESENTE NA SAGRADA EUCARISTIA, NÃO PERCA A OPORTUNIDADE DE ESTAR JUNTO A ELE. SEJA VOCÊ TAMBÉM UM ADORADOR DE JESUS CRISTO.

“A EUCARISTIA É O REMÉDIO DA IMORTALIDADE, O ANTÍDOTO CONTRA A MORTE” (Santo Inácio de Antioquia).



“A EUCARISTIA CONSISTE DE DUAS REALIDADES, A TERRENA E A CELESTE. POIS O PÃO QUE É TIRADO DA TERRA, NÃO É MAIS PÃO COMUM, UMA VEZ QUE ELE RECEBEU A INVOCAÇÃO DE DEUS E NÃO SE CORROMPE. PORTANTO, TAMBÉM NOSSOS CORPOS, QUANDO RECEBEM A EUCARISTIA, NÃO SÃO MAIS PASSÍVEIS DE CORRUPÇÃO, MAS POSSUEM A ESPERANÇA DA RESSURREIÇÃO PARA A ETERNIDADE”. (Santo Irineu, sec.II).

sexta-feira, 23 de abril de 2010

EUCARISTIA: EIS O MISTÉRIO DA NOSSA FÉ

A fé da Igreja é essencialmente fé eucarística e alimenta-se, de modo particular, à mesa da eucaristia. A fé e os sacramentos são dois aspectos complementares da vida eclesial. Suscitada
pelo anúncio da palavra de Deus, a fé é alimentada e cresce no encontro com a graça do Senhor ressuscitado, que se realiza nos sacramentos. Por isso, o sacramento do altar está sempre no
centro da vida eclesial. Quanto mais viva for a fé eucarística no povo de Deus, tanto mais profunda será a sua participação na vida eclesial por meio duma adesão convicta à missão que Cristo confiou aos seus discípulos (Sacramentum caritatis).

São Maximiliano Kolbe, fundador da Milícia da Imaculada, nos diz em um dos seus escritos que nunca poderemos compreender absoluta e inteiramente com a nossa razão os mistérios da fé.

De fato, completa Padre Kolbe, até a mais refinada inteligência será sempre finita e, exatamente por isso, incapaz de compreender o infinito.

Portanto, o homem é incapaz de explicar, mesmo usando de todos os seus conhecimentos científicos, pela sua inteligência e pela sua razão, o que é inexplicável, principalmente nas questões de fé.

Dessa forma, torna-se muito difícil responder à pergunta: como é que um Deus infinito pode tornar-se alimento que dá força e santifica a vida do próprio homem? Se usarmos a nossa inteligência não encontraremos resposta alguma a esse e a muitos outros questionamentos relativos à fé.

Então, quem poderá ajudar a responder essas questões que tanto inquietam o coração do ser humano? Novamente recorremos aos ensinamentos de Padre Kolbe que nos diz: somente o próprio Deus, cuja inteligência é infinita, é capaz de penetrar em todas as verdades e dar resposta a todos os nossos questionamentos.

Como na fé tudo torna-se mistério, mesmo que fôssemos muito mais sábios nunca poderíamos compreender os desígnios de Deus nem conhecer o que Ele é capaz de fazer por nós, cada um de nós.

Na verdade, podemos conhecer somente aquilo que Deus deseja nos revelar. Dessa forma, o pão, alimento que se fez carne, e o vinho, bebida que se fez sangue, ou seja, a eucaristia é um dom que somente Deus pode revelar aos que o amam de verdade.

SACRAMENTO DE FÉ

A liturgia da Igreja encontra seu centro e sua expressão na celebração da eucaristia. Fiel ao que Jesus nos pediu, na última ceia, a Igreja continua fazendo memória, até a sua volta gloriosa, do que Ele fez na véspera da sua paixão: Ele tomou o pão e o cálice de vinho, os abençoou e os transformou misteriosamente no seu corpo e no seu sangue. Os sinais do pão e do vinho continuam a significar a bondade da criação. No sacramento da comunhão nos unimos a Cristo e nos tornamos participantes de seu corpo e de seu sangue para formarmos com Ele um só corpo.

Por meio da santa comunhão, Deus vem socorrer a nossa fraqueza, pois nenhum homem é capaz de realizar o que planeja somente com a sua própria força. É por meio do sacramento da eucaristia que somos santificados e edificados e prestamos um culto agradável a Deus. Por essa razão, devemos dar uma grande importância à santa eucaristia, pois, acolhendo-a na fé, acolhemos ao próprio Deus.

A nossa maneira rotineira e muitas vezes descuidada de receber a comunhão, ou mesmo de nos colocarmos diante do Santíssimo Sacramento, nos impede de compreendermos um Deus que deseja amar e ser amado, acolher e ser acolhido, e, assim, produzir no coração do homem frutos inesgotáveis de esperança e de caridade.

CELEBRAR E ADORAR

A eucaristia constitui o momento culminante de toda celebração, momento em que nos encontramos com Jesus. Na celebração eucarística alguns se sentem chamados e convidados a serem ministros no altar, outros a amarem os pobres e os fracos, outros a viverem o amor na realidade e nos gestos
de cada dia, outros, ainda, a contemplarem a beleza e a profundidade desse mistério. Portanto, para descobrir o que Deus pede a cada um é preciso ir ao seu encontro. Pois, tanto nas celebrações das santas missas como na adoração eucarística, Jesus espera ansiosamente por aquele que deseja
amá-lo e adorá-lo, especialmente pelos que se sentem necessitados de confiança e de amor.

Na liturgia da missa ou por meio da adoração eucarística, exprimimos a nossa fé em Cristo. A
partir daí, inicia-se uma linda história de amor entre Deus e o homem. Ao comungar, contemplar e adorar a eucaristia cria-se um momento especial e oportuno para se estar em intimidade com o Senhor, um encontro entre a criatura e o Criador.

...graças à eucaristia, a Igreja renasce sempre de novo.
Papa Bento XVI

Everenice Schiavon Ara
Paróquia Santíssima Virgem

A Boa Notícia - Abril de 2010.

Nenhum comentário: