JESUS TE CONVIDA A PASSAR UMA HORA ESPECIAL COM ELE

Para ter uma vigília de oração constante diante do Santíssimo, precisamos assegurar-nos que em cada hora haja adoradores.

Para tanto, é necessário que cada pessoa se comprometa a tomar uma determinada hora.

Desta forma, podemos organizar todas as horas da noite, de modo que sempre haja alguém com Jesus.

A sua fé na presença de Jesus lhe ajudará a crer com convicção.

Torne-se você também um adorador (a). Faça uma experiência diante de JESUS EUCARÍSTICO

“VINDE A MIM VÓS QUE ESTAIS CANSADOS E SOBRECARREGADOS, EU VOS ALIVIAREI” (Mt 11,28).

ALEGRAI-VOS, ELE ESTÁ NO MEIO DE NÓS.

VINDE TODOS E ADOREMOS AO SALVADOR, JESUS SE FAZ PRESENTE NA SAGRADA EUCARISTIA, NÃO PERCA A OPORTUNIDADE DE ESTAR JUNTO A ELE. SEJA VOCÊ TAMBÉM UM ADORADOR DE JESUS CRISTO.

“A EUCARISTIA É O REMÉDIO DA IMORTALIDADE, O ANTÍDOTO CONTRA A MORTE” (Santo Inácio de Antioquia).



“A EUCARISTIA CONSISTE DE DUAS REALIDADES, A TERRENA E A CELESTE. POIS O PÃO QUE É TIRADO DA TERRA, NÃO É MAIS PÃO COMUM, UMA VEZ QUE ELE RECEBEU A INVOCAÇÃO DE DEUS E NÃO SE CORROMPE. PORTANTO, TAMBÉM NOSSOS CORPOS, QUANDO RECEBEM A EUCARISTIA, NÃO SÃO MAIS PASSÍVEIS DE CORRUPÇÃO, MAS POSSUEM A ESPERANÇA DA RESSURREIÇÃO PARA A ETERNIDADE”. (Santo Irineu, sec.II).

terça-feira, 15 de junho de 2010

O MILAGRE EUCARÍSTICO DE LANCIANO.


Somos destinatários da Mensagem de Deus

Na antiga cidade de Lanciano na Itália, um povoado antiqüíssimo, cujo nome significa “ancião ou velho”, conserva, nestes últimos doze séculos, o primeiro e o maior milagre Eucarístico da Igreja Católica.

Essa hospitaleira cidade situada sobre uma suave colina, agraciada pelo sorriso do mar Adriático e protegida às costas por uma cadeia de montanhas, guarda dentro de seus muros um grandioso milagre numa igreja cujo nome é São Francisco.

Por meio desse milagre, conhecido como Milagre Eucarístico, somos destinatários da mensagem de Deus. Esse fato nos faz entender que Deus quer recomeçar um diálogo e restabelecer uma comunicação com a humanidade já esquecida dele.

Lembramos que esse extraordinário milagre deu aos olhos humanos a grande oportunidade de contemplar as espécies eucarísticas do pão e do vinho, dilacerando os véus que as cobriam, dando oportunidade aos olhos humanos de presenciar o Corpo e o Sangue do Senhor transformado do pão e do vinho oferecidos.

A hóstia inteira, aquela usada pelo Sacerdote, transformou-se em Carne; todo o vinho que estava no cálice, transformou-se em Sangue! Esse milagre é sensível, atual e visível a todos e nos foi oferecido para crermos ainda mais nas seguintes palavras: “Ele tomou o pão, deu graças, partiu e distribuiu-o a eles, dizendo: Isto é o meu corpo que é dado por vós. Fazei isto em minha memória. E, depois de comer, fez o mesmo com o cálice, dizendo: Este cálice é a Nova Aliança em meu sangue, que é derramado em favor de vós”.(Lc22,19-20)


Conhecendo o Milagre Eucarístico de Lanciano

A seguir podemos conhecer mais a respeito desse milagre numa narração detalhada escrita por um cronista de nome desconhecido no ano de 1631:

“Nesta cidade de Lanciano, por volta dos anos 700 do Nosso Senhor, encontrou-se no mosteiro de São Legonciano, onde habitavam os monges de São Basílio, hoje denominado de São Francisco, um monge não muito firme na fé que, embora letrado nas ciências do mundo, ignorava a de Deus; dia após dia andava cada vez mais incerto se na hóstia consagrada houvesse o verdadeiro Corpo de Cristo, assim como, no vinho o verdadeiro Sangue.

Todavia, não abandonado pela graça devido ao contínuo orar, constantemente pedia a Deus que lhe tirasse do coração aquela chaga que estava lhe envenenando a alma. Foi então, quando Deus, Pai de misericórdia e de toda a consolação, fez-lhe a mesma graça que já partilhara ao Apóstolo São Tomé.

Foi então, que em uma manhã, durante a santa missa, depois de ter proferido as Santíssimas Palavras da Consagração, mais do que nunca se encontrava mergulhado no seu antigo erro; viu, então, o pão transforma-se em Carne e o vinho em Sangue.

Por tamanho e tão estupendo milagre o sacerdote aterrorizado e confuso ficou bastante tempo como que transportado em um divino êxtase. Mas, finalmente, cedendo ao contentamento, que lhe enchia a alma e com o rosto repleto de lágrimas, virando-se aos fiéis assim disse:

“ Ó felizes assistentes, aos quais o Bendito Deus, para confundir a minha incredulidade, quis revelar-se neste Santíssimo Sacramento e tornar-se visível aos vossos olhos: Vinde irmãos, e contemplai o nosso Deus transformado diante de nós: Eis a Carne e o Sangue do nosso diletíssimo Cristo”

Ao som dessas palavras correu o ávido público com devota participação ao altar começaram também a verter lágrimas e a gritar por misericórdia.

Difundida a fama de tão raro e singular Milagre por toda a cidade, era impossível contar os atos de contrição que homens e mulheres apressados procuravam descobrir.

Alguns confusos, com vozes devotas, clamavam a divina piedade, outros, flagelando-se o peito, davam-se por culpados pelos erros cometidos; outros ainda, com tom submisso e ininterruptos suspiros, se diziam indignos de contemplar tão precioso tesouro; outros, enfim, com tácito e reverente silêncio admiravam, se espantavam, louvavam e agradeciam o bondoso Deus que se havia querido submeter ao senso mortal a sua imortal e incompreensível Majestade.”

Ao ler esse relato vemos que o milagre Lanciano transformou em realidade o mistério da Eucaristia, centro vital da nossa Igreja, desvendando-se e transformando-se em testemunho vivo e eloqüente, não só para aqueles fiéis que presenciaram o acontecimento, mas para um número sempre crescente de peregrinos que procuram a Deus nesta localidade.

Ao decorrer dos anos, além desse majestoso acontecimento, muitos outros relatos interessantes vêem acontecendo na vida das pessoas que se ajoelham diante do Santíssimo Sacramento para prestar a Deus um culto por meio de orações, louvores, agradecimentos e pedidos.


Inscrição do ano de 1574 na Igreja de São Francisco


Encontramos na Igreja de São Francisco uma inscrição que ainda hoje está legível aos olhos dos visitantes. Ela foi feita pelo então Bispo de Lanciano, Monsenhor Rodrigues Gaspare, homem eclesiástico e de rigorosa consciência histórica e data de 17 de fevereiro de 1574.

Acerca dos anos 700, nesta Igreja então sob o nome de São Leguntiano, dos monges São Basílio, duvidou um monge sacerdote que na hóstia consagrada houvesse o Corpo do Nosso Senhor, e no vinho Sangue. Celebrada a missa e ditas as palavras da consagração, viu feita Carne a hóstia e Sangue o vinho. Foram mostradas estas coisas aos circunstantes e, em seguida, a todo o povo. A Carne é inteira e o Sangue dividido em cinco partes desiguais que tanto pesam unidas quanto cada uma separada”.


Corpo e Sangue de Cristo

“Ó bem-aventuradas testemunhas diante de quem, para confundir
a minha incredulidade,o Santo Deus quis desvendar-se neste Santíssimo Sacramento e
tornar-se visível aos vossos olhos.
Vinde, irmãos, e admirai o nosso Deus que se aproximou de nós.
Eis aqui a Carne e o Sangue do nosso Cristo muito amado!”

Ainda hoje quando visitamos a Igreja de São Francisco, lugar especial de graça, observamos que a Hóstia-Carne possui o mesmo tamanho da hóstia usada na Igreja latina. A sua cor é levemente escura e, quando olhada contra a luz, adquire um colorido róseo.

Quanto ao Sangue tem uma cor pálida tendente ao amarelo-ocre e está coagulado em cinco glóbulos irregulares e diferentes um do outro em sua forma e tamanho.

Desde 1713 a Carne está guardada num artístico ostensório de prata de estilo napolitano, finamente cinzelado. Enquanto que o Sangue fica dentro de uma rica e antiga âmbula em cristal de rocha.

Por vontade do bispo da Vila Chieti, Laudulfo e pela Bula Pontifícia de 12 de maio de 1252, os Frades Menores Conventuais guardam o Milagre Eucarístico. Antes, porém, desse período a tarefa de guardar essas preciosas relíquias coube aos monges da Ordem de São Basílio até 1176 e aos Beneditinos até o ano 1252.

No ano 1258 os Franciscanos responsáveis pelo Milagre Eucarístico construíram o Santuário que atualmente existe. No ano de 1700 esse Santuário foi reformado e do estilo romano-gótico passou para o estilo barroco.

O conhecido “Milagre de Lanciano” ficou exposto primeiramente numa capela ao lado do altar maior, e no ano de 1636 foi colocado num altar lateral da nave principal da igreja.

Somente a partir do ano 1902 é que o Milagre Eucarístico está exposto num tabernáculo do altar erigido pelo próprio povo de Lanciano. Esse altar fica no centro do presbitério da Igreja de São Francisco lugar que pode ser visto até hoje


Análise Científica

“A ciência não elimina o mistério...um pouco de ciência afasta de Deus,
muita ciência reconduz a Ele.” (L. Pasteur)

No mundo atual dominado pela ciência e pela técnica, e no qual ambas parecem querer devorar o espaço do venerável, do sobrenatural e do divino, encontramos um paradoxo: a ciência se dobra ao sagrado, reconhecendo com lealdade e dignidade que a verdade científica não é a totalidade da verdade, pois existem fatos que superam o dado experimental.

Pela fé podemos crer em Jesus que se revela na Eucaristia. A Eucaristia que hoje comungamos é o pão e o vinho consagrados pelo Senhor e que se transformaram na Última Ceia no seu Corpo e no seu Sangue. Jesus renovou também essa entrega a cada um de nós no seu sacrifício na Cruz.
O milagre da Eucaristia, que se tornou evidente aos olhos humanos em Lanciano, se repete e se repetirá em todos os tempos: no passado, no presente, e no futuro. Ao longo de mais de 2000 anos, o pão e o vinho, consagrados pelo sacerdote, se convertem, real e substancialmente, no Corpo e Sangue de Cristo.

Evidente aos olhos da fé e sob as espécies sacramentais Jesus se revela e está a nossa espera nos altares das nossas Igrejas, nos sacrários, nos ostensórios e nas mãos dos sacerdotes ou dos ministros da eucaristia. E nessa relação amorosa com a humanidade Jesus pede para estarmos sempre junto dele.

Everenice chiavon Ara
Santuário de Adoração Perpétua

Paróquia Santíssima Virgem

Nenhum comentário: