JESUS TE CONVIDA A PASSAR UMA HORA ESPECIAL COM ELE

Para ter uma vigília de oração constante diante do Santíssimo, precisamos assegurar-nos que em cada hora haja adoradores.

Para tanto, é necessário que cada pessoa se comprometa a tomar uma determinada hora.

Desta forma, podemos organizar todas as horas da noite, de modo que sempre haja alguém com Jesus.

A sua fé na presença de Jesus lhe ajudará a crer com convicção.

Torne-se você também um adorador (a). Faça uma experiência diante de JESUS EUCARÍSTICO

“VINDE A MIM VÓS QUE ESTAIS CANSADOS E SOBRECARREGADOS, EU VOS ALIVIAREI” (Mt 11,28).

ALEGRAI-VOS, ELE ESTÁ NO MEIO DE NÓS.

VINDE TODOS E ADOREMOS AO SALVADOR, JESUS SE FAZ PRESENTE NA SAGRADA EUCARISTIA, NÃO PERCA A OPORTUNIDADE DE ESTAR JUNTO A ELE. SEJA VOCÊ TAMBÉM UM ADORADOR DE JESUS CRISTO.

“A EUCARISTIA É O REMÉDIO DA IMORTALIDADE, O ANTÍDOTO CONTRA A MORTE” (Santo Inácio de Antioquia).



“A EUCARISTIA CONSISTE DE DUAS REALIDADES, A TERRENA E A CELESTE. POIS O PÃO QUE É TIRADO DA TERRA, NÃO É MAIS PÃO COMUM, UMA VEZ QUE ELE RECEBEU A INVOCAÇÃO DE DEUS E NÃO SE CORROMPE. PORTANTO, TAMBÉM NOSSOS CORPOS, QUANDO RECEBEM A EUCARISTIA, NÃO SÃO MAIS PASSÍVEIS DE CORRUPÇÃO, MAS POSSUEM A ESPERANÇA DA RESSURREIÇÃO PARA A ETERNIDADE”. (Santo Irineu, sec.II).

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

NOSSA SENHORA DAS DORES - 15 DE SETEMBRO

A devoção a Nossa Senhora das dores teve origem de modo especial na ordem dos servos de Maria. A celebração em sua honra realiza-se em toda a igreja no dia 15 de Setembro. É a mais bíblica de todas as devoções. Nossa Senhora das Dores surge representada sendo ferida por sete espadas no seu coração Imaculado.

Ela foi obediente do início ao fim ao projeto de Deus, jamais o abandonou, permaneneu de pé ao lado da cruz de seu filho Jesus Cristo. Orar a Nossa Senhora das Dores é muito apropriado para a nossa realidade, onde dor e sofrimento acompanham a vida de muito de nossos irmãos.

Acompanhar Nossa Senhora em todas as fases de sua vida terrena, vivenciar os desígnios de Deus para com Ela, é sempre admirável para um coração devoto à Santíssima Virgem. Mais apropriado não podia ser a nossa meditação sobre os grandes desafios e as suas dores vividas, a saber:

1.º - A profecia de Simeão. “Eis que este Menino está destinado a ser ocasião de queda e elevação de muitos em Israel e sinal de contradição. Quanto a ti, uma espada te transpassará a alma.” (Lc 2,34-35).

2.º - A fuga para o Egito. “Levanta, toma o menino e a mãe, foge para o Egito e fica lá até que te avise. Pois Herodes vai procurar o menino para matar!” Levantando-se, José tomou o menino a mãe partiu de noite para o Egito. (Mt 2,13-14)

3.º - Jesus encontrado no templo. Acabados os dias da festa da Páscoa, o menino Jesus ficou em Jerusalém sem que os pais o percebessem. Pensando que estivessem na caravana, andaram o caminho de um dia e o procuraram entre parentes e conhecidos. E não o achando, voltaram a Jerusalém e procura dele. (Lc 2,43-45).

4.º - Maria se encontra com Jesus na via dolorosa. Ao conduzir Jesus, agarraram um certo Simão de Cirene que vinha da lavoura e o encarregaram de levar a cruz atrás de Jesus. Seguia-o grande multidão de povo e de mulheres que batiam no peito e o lamentavam. Voltando-se para elas Jesus disse: “Filhas de Jerusalém, não choreis por mim! Chorai por vós mesmas e por vossos filhos.” (Lc 23,26-27).

5.º - Jesus morre na cruz. Junto à cruz de Jesus estava de pé sua Mãe, a irmã de sua Mãe, Maria de Cleófas e Maria Madalena. Vendo a Mãe e perto dela o discípulo a quem amava, disse Jesus para a Mãe: “Mulher, eis ai o teu filho!” “Depois disse para o discípulo: Eis ai a tua Mãe.” (Jo 19,25-27).

6.º - Abertura do coração de Jesus pela lança e descimento da cruz. Chegando a Jesus e vendo-o já morto, não lhe quebraram as pernas, mas um dos soldados transpassou-lhes o lado com a lança e imediatamente saiu sangue e água. (Jo 19,34).

7.º - Jesus é colocado no sepulcro. Os discípulos tiraram o corpo de Jesus e o envolveram em faixas de linho com aromas, conforme é o costume de sepultar os judeus. Havia um jardim perto do local onde fora crucificado e no jardim um sepulcro novo onde ninguém ainda fora depositado. Foi ali que puseram Jesus. (Jo 19,40-42).

Se a nós Deus mandar uma cruz em forma sofrimentos físicos ou morais, acusações injustas ou de contínuas contrariedades, recorramos a Nossa Senhora, e não nos entreguemos à tristeza e ao desânimo. Sofrimento que vem mandado por um Pai que nos tem tanto amor, não pode visar outro fim, senão o nosso bem temporal e eterno. O sofrimento um dia, converter-se-á em alegria; as lágrimas derramadas hoje, darão lugar a uma felicidade que não terá fim. Uma cruz é diferente da outra e a duração de tempo do nosso padecimento pertence a Deus. São momentos tristes, mas que devemos aceitar alegremente, como uma graça divina. Afinal, lembremos-nos de quanto sofrimento Cristo padeceu no Calvário! E quanto sofreu a Mãe, diante da agonia do Filho!

Se teu ombro já parece não suportar o peso da cruz, se a extrema dor te abala os sentidos, não desperdice esse tempo com lamentações, muitas vezes inevitáveis. Oferece essas dádivas às almas que padecem no Purgatório, em desagravo dos pecados cometidos contra o Santíssimo Coração de Jesus e Imaculado Coração de Maria, pela conversão de todos nós, pobres pecadores, pela paz no mundo, pelo Papa, ou por tantas outras causas urgentes que clamam por nossas orações e sacrifícios.

Por enquanto, coloquemos-nos confiantemente no colo amoroso de Nossa Senhora das Dores, que experimentou o sofrimento na sua máxima intensidade.

Nenhum comentário: