JESUS TE CONVIDA A PASSAR UMA HORA ESPECIAL COM ELE

Para ter uma vigília de oração constante diante do Santíssimo, precisamos assegurar-nos que em cada hora haja adoradores.

Para tanto, é necessário que cada pessoa se comprometa a tomar uma determinada hora.

Desta forma, podemos organizar todas as horas da noite, de modo que sempre haja alguém com Jesus.

A sua fé na presença de Jesus lhe ajudará a crer com convicção.

Torne-se você também um adorador (a). Faça uma experiência diante de JESUS EUCARÍSTICO

“VINDE A MIM VÓS QUE ESTAIS CANSADOS E SOBRECARREGADOS, EU VOS ALIVIAREI” (Mt 11,28).

ALEGRAI-VOS, ELE ESTÁ NO MEIO DE NÓS.

VINDE TODOS E ADOREMOS AO SALVADOR, JESUS SE FAZ PRESENTE NA SAGRADA EUCARISTIA, NÃO PERCA A OPORTUNIDADE DE ESTAR JUNTO A ELE. SEJA VOCÊ TAMBÉM UM ADORADOR DE JESUS CRISTO.

“A EUCARISTIA É O REMÉDIO DA IMORTALIDADE, O ANTÍDOTO CONTRA A MORTE” (Santo Inácio de Antioquia).



“A EUCARISTIA CONSISTE DE DUAS REALIDADES, A TERRENA E A CELESTE. POIS O PÃO QUE É TIRADO DA TERRA, NÃO É MAIS PÃO COMUM, UMA VEZ QUE ELE RECEBEU A INVOCAÇÃO DE DEUS E NÃO SE CORROMPE. PORTANTO, TAMBÉM NOSSOS CORPOS, QUANDO RECEBEM A EUCARISTIA, NÃO SÃO MAIS PASSÍVEIS DE CORRUPÇÃO, MAS POSSUEM A ESPERANÇA DA RESSURREIÇÃO PARA A ETERNIDADE”. (Santo Irineu, sec.II).

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

SÃO MAXIMILIANO MARIA KOLBE - 14 DE AGOSTO - FUNDADOR DA MILÍCIA DA IMACULADA.


“UM SACERDOTE CATÓLICO”

A Igreja comemora no dia 14 de agosto a festa de São Maximiliano Maria Kolbe, franciscano de origem polonesa que em 16 de outubro de 1917, com apenas 23 anos, fundou a Milícia da Imaculada, o exército de Maria, com o ideal de conquistar o mundo inteiro a Cristo pela Imaculada.

São Maximiliano encontrava-se no seminário em Roma quando presenciou uma manifestação da maçonaria, em plena Praça São Pedro, que protestava contra o Papa. Ele então se questionou: “Será possível que os inimigos tomem a dianteira e nós fiquemos tão ociosos? É preciso que nos coloquemos como instrumentos dóceis nas mãos da Imaculada, esforçando-nos com todos os meios lícitos, servindo-nos da palavra, da difusão da imprensa mariana e da medalha milagrosa, valorizando a ação com a oração e com o bom exemplo”.

Retornando ao seu país de origem, São Maximiliano construiu nas proximidades de Varsóvia a cidade da Imaculada que, em sua época, possuía a maior comunidade religiosa do mundo, chegando a ter mais de 800 frades e o mais moderno parque gráfico da Polônia onde em 1939 as publicações somadas de “O cavaleiro da Imaculada,” “O jovem cavaleiro”, “O Informativo da Imaculada” e outras publicações, chegaram a mais de um milhão de exemplares.
Com a chegada da guerra, a Polônia é invadida pela Alemanha Nazista. São Maximiliano é preso e levado para o campo de concentração de Auschwitz, recebendo o nº 16670, onde num gesto de amor ao próximo, se doa a morrer no bunker da fome no lugar de um pai de família, que junto a mais nove prisioneiros estavam condenados a morrer. Passados vários dias sem comer ou beber, Padre Maximiliano é executado com uma injeção letal, era então o dia 14 de agosto de 1941, véspera da festa da Imaculada Conceição.

Como sacerdote, Kolbe realizou sua missão e realizou um milagre ainda maior: o amor que torna presente e visível a presença de Deus. Isto ele o fez num dos momentos mais difíceis e dramáticos do século passado, a tal ponto de ser definido por João Paulo II “padroeiro especial para os nossos tempos difíceis”. Por ocasião da beatificação diz o Cardeal Wojtyla:”Este homem, marcado simplesmente com o número 16670, conquistou a mais difícil das vitórias, aquela do amor que absolve e perdoa. Ele irrompe no meio do círculo infernal da dialética do ódio, com um coração abrasado de amor, e, de uma vez, aquele sortilégio infernal foi exorcizado, o amor foi mais forte que a morte.
O seu testemunho não é, talvez, de uma atualidade impressionante numa época de amor fragmentado e dividido? São muitos aqueles que atualmente têm a caridade fraterna condicionada pela raça, pela nação, pela ideologia!”
Ainda cardeal, assim comentava Wojtyla: “Como sacerdote, portanto, ele acompanhou o rebanho dos nove condenados à morte. Não se tratava de salvar somente o décimo! Era necessário ajudar os nove a morrer.” Durante a missa de beatificação, Paulo VI confirma:”Quem não se lembra daquele episódio incomparável?”Sou um sacerdote católico” Resposta de Padre kolbe ao comandante do campo de concentração, quando perguntado quem era ele, no momento em que se oferecia para morrer no lugar de um pai de família. (Fonte: Revista o Milite 08/09, Jornal A Boa Notícia 07/09).

Nenhum comentário: